Como posso me tornar Maçom?

         

         Antes de mais nada, o postulante ao ingresso nos quadros da Ordem Maçônica, deve autoavaliar-se em busca de valores, costumes, atitudes (interiores), e comportamentos sociais exteriorizados cotejando-os com algumas premissas a seguir apresentadas.

O Candidato deve, portanto, identificar-se com os aspectos a seguir:

         Legal:

                    - ser maior de 18 anos e do sexo masculino;

                    - possuir, no mínimo, instrução do ensino fundamental completo ou equivalente;

                    - ser um homem íntegro e atualizado em relação ao seu tempo;

                    - residir, pelo menos há um ano, no município onde funciona a Loja Maçônica em que deseja ser proposto, ou dois anos em localidade próxima;

                    - ter profissão ou meio de vida lícito, devendo auferir receita que permita uma condição econômico-financeira que lhe assegure subsistência própria e de sua família;

                    - contar com a concordância da esposa ou companheira; se solteiro e depender dos pais, obter a concordância deles para ingressar na Maçonaria;

                    - aceitar a existência de um Princípio Criador.

         Doutrinário:

                    - ter religiosidade;

                    - crer em Deus, acima de tudo;

                    - ter uma idéia clara da virtude e do vício;

                    - estar apto a apreender conhecimentos litúrgicos e filosóficos;

                    - distinguir entre religião e maçonaria;

                    - ser respeitado na Iniciação, não só pelas características esotéricas, exotéricas e metafísicas do evento, como pelo significado simbólico trazido pelas nossas tradições e regularidade;

 

         Prático:

              - apresentar bons costumes;

              - ter boa família;

              - seguir as leis;

         Deveres essenciais:

                                                     - Amor á família;

                                            - Fidelidade e devotamento á Pátria;

                                            - Obediência á lei;

                                            - proclamar que os homens são livres e iguais em direitos;

         Iniciático:

                - creditar respeito ao processo;

                - manter o espírito receptivo ("nada lhe será cobrado; tudo lhe será dado");

         A admissão à Maçonaria é restrita a pessoas adultas sem limitações quanto à raça, credo e nacionalidade, desde que gozem de reputação ilibada e que sejam homens íntegros.

         Nenhum homem, por melhor que seja, poderá ser recebido na Maçonaria, sem o consentimento de todos os maçons. Se alguém fosse imposto à Maçonaria, poderia ali causar desarmonia, ou perturbar a liberdade dos demais, o que sempre deve ser evitado.

         A aceitação do pedido de ingresso na Ordem depende bastante da declaração de motivos do candidato. A Ordem espera que o candidato seja sincero perante sua própria consciência, quando do preenchimento da proposta de admissão.

 

         Quando alguém se candidata a ingressar na Maçonaria, é verificado em sindicância se dispõe de ganhos pecuniários que permitam cumprir os compromissos maçônicos, sem sacrificar a família. Vale dizer que nenhum homem casado poderá entrar para a Maçonaria sem que a esposa esteja de acordo.

         

         É óbvio que, ao se iniciar na Maçonaria, o indivíduo deverá assumir compromissos derivados de participação engajada e responsável nas lides maçônicas. Entre os compromissos e responsabilidades, encontram-se aqueles de estudar, com mente aberta, as instruções maçônicas, bem como, o de considerar denso sigilo sobre os ensinamentos recebidos e contribuir pecuniariamente para a manutenção de sua Loja e sua Obediência. Os compromissos e responsabilidades, a propósito, são do mesmo gênero daquelas encontradas em qualquer associação humana.

         É fato inconteste que uma das finalidades da Ordem é a de implantar sistematicamente na sociedade humana uma efetiva fraternidade entre os homens.

         Ao contrário do "folclore" que alimenta a crença de muita gente, a Maçonaria não é uma sociedade secreta e exerce suas atividades extensivamente, sob o pálio da legitimidade de sua natureza e da legalidade de seus atos e fatos administrativos, fiscais e tributários. Suas Propriedades, Constituições, Emendas, Regimentos e Estatutos são registrados em cartório de imóveis, títulos e documentos, e publicados em Diário Oficial.

         Uma vez Iniciado, o postulante torna-se Maçom, e, como tal, estará, para todo o sempre, sob constante vigilância de sua própria consciência e dos demais Maçons.

         Isso posto, havendo seu interesse em "entrar" na Maçonaria, acesse o link abaixo Fale Conosco onde um Mestre Maçom entrará em contato.

Para maiores esclarecimentos fale conosco aqui: